Email/MSN:
virtuanauta@hotmail.com

ICQ:
53601728


Powered by:
www.virtuamix.com
&
UOL Blog
   
MEU PERFIL


O Que Sou: Um ser virtual, nascido e criado entre livros, revistas e programas de TV...

Onde Vivo: Atualmente, no HD de um Pentium III, que chamo de lar...

O Que Faço: Vivo viajando através dos mundos imaginados pela humanidade... Do cinema à internet, da literatura aos quadrinhos... Tudo isso graças ao meu avatar, que, vivendo fisicamente no mundo real, leva minha mente pra todo lugar onde eu quero ir! Pode-se dizer que sou um astronauta de mim mesmo...

Personalidade:
Altamente introspectivo, contemplativo... Um idealista cheio de idéias excêntricas... Um rebelde em busca de compreensão... Ou simplesmente um nerd, pra aqueles que gostam de rótulos!

Odeio: Futebol, pagode, música sertaneja, cigarro, bebidas alcoólicas, preconceitos...

Adoro: Cinema, quadrinhos, desenhos animados, literatura, RPG, teatro, arte em geral, seriados de TV, rock, música pop, dance, techno, videogames, e, quando estou no mundo real, fast food, parques de diversão, passear no shopping, praia, balada, e, principalmente, beijar, porque, sem beijar, nada dessas coisas tem tanta graça assim...

                    








PERFIL DO
MEU AVATAR
NO MUNDO REAL



Nome: Rubens Duprat

Sexo: Masculino

Idade: 20 e poucos

Signo: Touro

Aniversário: 14 de maio

Onde Vive: São Paulo

O Que Faz: Letras na USP

Cabelos: Castanhos

Olhos: Castanhos

Pele: Branca

Altura: 1m65

Peso: 60kg

                    




MENU

Histórico:
16/07/2005 a 31/07/2005
01/03/2005 a 15/03/2005
01/01/2005 a 15/01/2005
16/12/2004 a 31/12/2004
01/12/2004 a 15/12/2004
16/11/2004 a 30/11/2004












Votação:
Dê uma nota para
este blog!























Receba um aviso no seu computador sempre que este blog for atualizado!

Como funciona?








Cotações:


Ótimo


Bom


Regular


Ruim


Péssimo







Meus 20 Filmes Favoritos:

1. Quero Ser Grande

2. SOS Tem um Louco Solto no Espaço

3. O Gabinete do Dr. Caligari

4. De Volta Para o Futuro Parte 2

5. Curtindo a Vida Adoidado

6. Tempos Modernos

7. Janela Indiscreta

8. Monty Python O Sentido da Vida

9. Tudo Que Você Sempre Quis Saber Sobre Sexo Mas Tinha Medo de Perguntar

10. O Mágico de Oz

11. Cantando na Chuva

12. Nos Tempos da Brilhantina

13. ...E o Vento Levou

14. Os Fantasmas Se Divertem

15. O Panaca

16. Harry e Sally Feitos Um Para o Outro

17. O Auto da Compadecida

18. Cidade de Deus

19. O Senhor dos Anéis O Retorno do Rei

20. Kill Bill Volume 1















































































































   



































































































Segunda-feira , 11 de Julho de 2005


Virtualidades da Temporada - Têm Início os Eventos de Julho de Quadrinhos e Animação!


Começa hoje o evento Mundo dos Quadrinhos 2005 no Senac da Lapa. Como vem acontecendo desde 2003, o Senac traz esta semana, até sábado, uma programação que inclui exposições, palestras de profissionais da área, workshops, jogos, filmes e até mesmo avaliação de portfólios por editores. Os destaques neste primeiro dia são, às 19h, uma palestra de Ziraldo; às 20h, a abertura da exposição O que é o Brasil, com Maurício de Souza, seguida de coquetel; e, às 21h, o anúncio do vencedor do I Concurso Internacional de História em Quadrinhos. No resto de semana haverão palestras com especialistas como Waldomiro Vergueiro (quarta-feira às 20h), quadrinhistas como Marcelo Campos (quinta-feira às 20h) e a exibição do making of do aguardadíssimo filme Sin City, baseado na HQ de Frank Miller, que estréia dia 29 no Brasil.

Na quinta-feira é a vez do III Anime Friends, o maior evento de animê e mangá na América Latina, até domingo. Na verdade, há controvérsias quanto a este ser o melhor, já que existe a concorrência do AnimeCon, mais antigo e tradicional, que este ano será na semana que vem. Mas, sem dúvida, o Anime Friends é o evento mais completo, incluindo a premiação dos melhores dubladores do ano, no sábado, e até mesmo um grande show ao vivo, este ano com os artistas japoneses Hironobu Kageyama, Takayuki Miyauchi, Akira Kushida e Yoshiki Fukuyama, cantando temas de animês e tokusatsus (os seriados japoneses) famosos. No ano passado o Anime Friends se notabilizou pela extrema falta de organização, com um espaço pequeno demais para o público presente, o que fez com que 4 mil pessoas ficassem de fora (entre elas, o ser virtual que vos escreve)... Mas no primeiro ano eu posso afirmar que o evento foi realmente muito bom, já que estive lá dois dias! Este ano, quem sabe o que pode acontecer?

Já o VIII Festival do Japão vai de sexta-feira a domingo, comemorando os 97 anos da imigração japonesa no Brasil com música e danças folclóricas, artes marciais, culinária típica, exposição de ikebana e bonsai, workshops, concurso de miss e até cosplay (fãs fantasiados de personagens de animê), além da estréia mundial do filme O Genial Capitão Japonês no sábado, às 14h30, no auditório de animê e mangá, seguida de palestra do próprio diretor, Megumu Ishiguro. É um evento que vale muito a pena conhecer, pra quem tem interesse pela cultura japonesa e não está a fim de enfrentar a fila do Anime Friends no fim de semana!

Semana que vem... AnimeCon e Anima Mundi!

Mundo dos Quadrinhos
Senac Lapa Scipião
Rua Scipião, 67 - Lapa
São Paulo - SP
ENTRADA GRATUITA
Informações: (11) 3866-2500

Anime Friends
Universidade Uni Sant'anna
Rua Voluntários da Pátria, 421, bloco I - Santana
São Paulo - SP
Ingressos: R$15,00
Informações: (11) 3275-0780

Festival do Japão
Centro de Exposições Imigrantes
Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 - Vila Guarani
São Paulo - SP
Ingressos: R$5,00 (gratuito para menores de 7 anos e maiores de 75)
Informações: (11) 3277-8569


Postado por Virtuanauta às 14h33 [] [Envie esta mensagem]




Quinta-feira , 3 de Março de 2005


Cine Virtuanauta 3 - Zazie no Metrô


Algumas resenhas que li de Zazie no Metrô classificam o filme como uma comédia absurda, anárquica, que remete à tradição burlesca do cinema mudo, num elaborado exercício de dadaísmo cinematográfico. O filme realmente é tudo isso, mas também pode ser visto como uma grande homenagem aos desenhos animados clássicos, outra inspiração evidente. Muitos anos antes de John Hughes colocar o garoto Macaulay Culkin derrotando bandidos com armadilhas de desenho animado em Esqueceram de Mim, Louis Malle já fazia o mesmo com Catherine Demongeot, que, no papel de Zazie, atravessa Paris arremessando bananas de dinamite e bombas em seus perseguidores.

Chegando à cidade para ficar sob os cuidados de seu tio Gabriel (Philippe Noiret, de Cinema Paradiso, em seu primeiro papel de destaque), a desbocada Zazie não se conforma em saber que o metrô, que ela estava ansiosa para conhecer, está em greve, e decide conhecer a cidade por conta própria, se envolvendo com inúmeras figuras estranhas enquanto visita pontos turísticos como o Mercado das Pulgas e a Torre Eiffel. O humor nonsense atinge seu máximo em seqüências como a do automóvel perdido no trânsito caótico da cidade, hilariante.


Zazie no Metrô também é visto como um ancestral do igualmente francês O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, mostrando o encontro de uma jovem especial com a corrupção e a loucura do mundo adulto. Inspirado no livro do consagrado escritor surrealista francês Raymond Queneau (que também esteve envolvido com o cinema escrevendo roteiros, dirigindo o curta Le Lendemain e atuando na comédia de humor negro Landru, baseada na história real de um serial killer), o filme de Louis Malle (também diretor de Os Amantes, feito um ano antes, e de Adeus Meninos) foi um grande sucesso na época de seu lançamento, e ainda hoje é lembrado pelos críticos franceses por sua genialidade, mas, lendo comentários do público norte-americano (tradicionalmente preconceituoso com relação a filmes franceses) na Internet, e ouvindo as conversas na sala do Cinusp após a exibição, percebi que as opiniões sobre o filme divergem bastante... Alguns chegaram a dizer que este foi o pior filme que assistiram! Creio que isso se deva especialmente à seqüência da guerra de comida, próxima do final, quando o filme se rende à anarquia absoluta, deixando de lado qualquer vínculo com a realidade do dia a dia... Aqueles que não estavam preparados para essa anarquia podem ter estranhado bastante, mas quem conseguiu embarcar no espírito do filme deve ter percebido que a cena se encaixa como o clímax perfeito para uma trama que, desde o início, não tem a preocupação de ser um simulacro da realidade, mas sim em subverter essa realidade, usando os recursos do cinema para ironizar o cotidiano de Paris e o próprio cinema, ao mesmo tempo em que faz uma transposição da linguagem do livro de Raymond Queneau para a tela.


Por fim, uma curiosidade para os freqüentadores do Cinusp... A menina Catherine Demongeot aparece também em Uma Mulher É uma Mulher, outro cartaz da mostra Para Gostar de Cinema 2 - Anos 60, rodado um ano depois. Vou prestar bastante atenção quando estiver assistindo, na semana que vem!


Zazie no Metrô

(Zazie dans le Métro, 1960, França/Itália, cor, 89 minutos)

Comédia

Direção: Louis Malle

Com: Catherine Demongeot, Philippe Noiret, Hubert Deschamps, Carla Marlier e Annie Fratellini

Visto hoje, às 16h, no Cinusp


Postado por Virtuanauta às 23h59 [] [Envie esta mensagem]




Quarta-feira , 2 de Março de 2005


Virtualidades da Temporada - Mostra de Cinema dos Anos 60 no Cinusp


No início de 2003, tive a chance de ver no cinema alguns grandes clássicos dos anos 50, incluindo Cantando na Chuva e A Marca da Maldade, através de uma mostra realizada pelo Cinusp. Por bastante tempo fiquei esperando que dessem continuidade à idéia de selecionar alguns filmes representativos de cada década para exibição no cinema da USP, mas várias mostras se passaram, e nada... Até agora! Este mês, finalmente, o Cinusp está apresentando a mostra Para Gostar de Cinema 2 - Anos 60, com um belo panorama daquela que é considerada a década inaugural do cinema moderno.

A mostra começa com Primavera Para Hitler, o primeiro grande sucesso do comediante Mel Brooks (de S.O.S. - Tem um Louco Solto no Espaço), numa história que recentemente chegou a ganhar uma versão musical na Broadway estrelada por Matthew Broderick (o Ferris Bueller de Curtindo a Vida Adoidado) e Nathan Lane (o namorado de Robin Williams em A Gaiola das Loucas), e agora vai ganhar uma refilmagem com a mesma dupla da peça. Na versão original, uma sátira mordaz ao mundo do show business, Gene Wilder (de A Dama de Vermelho) e Zero Mostel são dois produtores vigaristas que decidem lançar propositalmente um fracasso no teatro, um absurdo musical protagonizado por nazistas, apenas para ficar com o dinheiro dos patrocinadores, mas se vêem em apuros quando, inexplicavelmente, seu espetáculo se torna um sucesso. Da mostra do Cinusp, este é o único filme que eu já vi... Mas é claro que não vou perder a oportunidade de ver de novo! Recomendo bastante.

Os outros filmes selecionados são a comédia francesa Zazie no Metrô (de Louis Malle), Lolita (a versão de Stanley Kubrick), Uma Mulher É uma Mulher (o filme mais leve e divertido do lendário diretor francês Jean-Luc Godard), o suspense Repulsa ao Sexo (que, junto com O Bebê de Rosemary e O Inquilino, compõe a chamada trilogia do apartamento, de Roman Polanski), A Bela da Tarde (do mestre do cinema surrealista Luis Buñuel, com a musa Catherine Deneuve, que aparece no cartaz da mostra), Dois Destinos (com Marcello Mastroianni, sobre dois irmãos que, separados, tornam-se adultos muito diferentes), Assalto ao Trem Pagador (o representante brasileiro da mostra, com Eliezer Gomes, Reginaldo Farias e Grande Otelo), Um Tiro no Escuro (o primeiro filme da longa e hilariante série A Pantera Cor de Rosa, dirigida por Blake Edwards e estrelada por Peter Sellers) e Antes da Revolução (de Bernardo Bertolucci, num retrato da juventude idealista da época).

Vou ficar esperando as próximas mostras desta série, depois! Uma mostra dos anos 30 seria interessante, com algum filme dos Irmãos Marx... Ou uma dos anos 20, com filmes mudos... Eu, particularmente, acharia legal se fizessem de todas as décadas, e com menos espaço de tempo entre uma e outra, mas, se continuar no ritmo em que está, e seguindo a cronologia, a próxima vai ser dos anos 70, e só vai entrar daqui a mais dois anos! Já que é assim, enquanto essas mostras não chegam, bem que poderiam organizar uma só dos Irmãos Marx... Ou do Ernst Lubitsch, diretor dos anos 30 especializado em comédias... Ou do expressionista Fritz Lang... Ou da comediante Mae West, uma espécie de Dercy Gonçalves norte-americana, também dos anos 30... Se as próximas mostras forem dos anos 70 e 80, provavelmente nem vão me interessar, porque só vão ter filmes que eu já vi!

Seja como for, para aqueles que ainda não conhecem o Cinusp e se interessaram pela mostra dos anos 60, que está realmente muito boa, estou deixando o endereço e os horários... Quem sabe a gente se encontra por lá?

Local:

Cinusp Paulo Emílio
Colméia, Favo 4 - Cidade Universitária
São Paulo - SP
ENTRADA GRATUITA
Informações: (11) 3091-3540

Filmes:

Primavera Para Hitler
28/2 a 2/3, às 16h; 3/3 e 4/3, às 19h

Zazie no Metrô
28/2 a 2/3, às 19h; 3/3 e 4/3, às 16h

Lolita
7/3 a 9/3, às 16h; 10/3 e 11/3, às 19h

Uma Mulher É uma Mulher
7/3 a 9/3, às 19h; 10/3 e 11/3, às 16h

Repulsa ao Sexo
14/3 a 16/3, às 16h; 17/3 e 18/3, às 19h

A Bela da Tarde
14/3 a 16/3, às 19h; 17/3 e 18/3, às 16h

Dois Destinos
21/3 e 22/3, às 16h; 23/3 e 24/3, às 19h

Assalto ao Trem Pagador
21/3 e 22/3, às 19h; 23/3 e 24/3, às 16h

Um Tiro no Escuro
28/3 a 30/3, às 16h; 31/3 e 1/4, às 19h

Antes da Revolução
28/3 a 30/3, às 19h; 31/3 e 1/4, às 16h



Postado por Virtuanauta às 00h30 [] [Envie esta mensagem]




Terça-feira , 1 de Março de 2005


Virtualidades da Temporada - Globo Anuncia Novo Pacote de Filmes Para 2005


A exemplo do que fez o SBT no ano passado, a Globo anunciou durante o primeiro intervalo da transmissão do Oscar 2005 o mais novo pacote de filmes comprado pela emissora, para exibição ao longo deste ano: Minority Report, A Identidade Bourne, Gangues de Nova York, O Pequeno Stuart Little 2, Loucuras na Idade Média, O Amor é Cego, Cruzeiro das Loucas, MIB - Homens de Preto 2, Spirit - O Corcel Indomável, A Herança de Mr. Deeds, Uma Mente Brilhante, Crossroads, Chegadas e Partidas, Frida, Destino Insólito, A Irmandade, Dupla Explosiva, O Terno de Dois Milhões de Dólares, Espião por Acaso, Rollerball, Carandiru, Xuxa e os Duendes 2, Os Normais - O Filme, O Xangô de Baker Street, Infidelidade, O Quarto do Pânico, Sinais, A Isca Perfeita, Crimes em Primeiro Grau, Dragão Vermelho, Estrada Para Perdição, Sou Espião, Triplo X e, para fechar com chave de ouro (ou seria de teia?), Homem-Aranha, completando 34 filmes! Se prestarmos atenção, na maioria são filmes medianos, alguns até bem ruinzinhos, mas vários são muito bons... Será que demora para passarem Estrada Para Perdição?


Postado por Virtuanauta às 22h50 [] [Envie esta mensagem]




Segunda-feira , 28 de Fevereiro de 2005


Virtualidades da Semana - A Volta do Virtuanauta e as Mudanças do Oscar 2005

Já virou clichê dizer que, no Brasil, o ano só começa de verdade depois do carnaval. É assim com a programação da Globo, com as aulas da USP, e porque não com este blog? Hoje, dia 28 de fevereiro, voltam as aulas na faculdade do meu avatar, a sala pró-aluno já está lotada e, cumprindo a promessa feita logo no começo de janeiro, o ser virtual que vos escreve está finalmente de volta!

Durante essas férias, foram muitas as viagens a mundos virtuais, do Japão feudal repleto de demônios em Inu Yasha à Baixada Fluminense promovida a município em Senhora do Destino, e poucas as viagens no mundo real, restritas a três dias no Guarujá e três em São João da Boa Vista... Mas, ainda assim, meu avatar terminou as férias bastante queimado de sol!

Falarei mais dessas viagens, as virtuais, nos próximos posts que escreverei ao longo desta semana.

Eu só lamento não ter feito três coisas durante essas férias... Primeiro, ir ao Anime Dreams, que, pelo que eu fiquei sabendo, foi o melhor evento de animê em São Paulo nos últimos tempos... Segundo, aproveitar mais a promoção Play Vip do Playcenter, que dava direito a entrar no parque quantas vezes se quisesse até março... E, terceiro, ir mais ao cinema!


Confesso que estou com vários filmes acumulados para ver. Me deu até raiva quando comecei a assistir ao Oscar ontem e lembrei que ainda não tinha visto a maioria dos indicados... Não queria ficar vendo cenas de filmes que eu ainda não vi!

Outra coisa que deu raiva foi a maneira como a Globo resolveu exibir o Oscar... Quando começou a exibição, a cerimônia já havia começado há meia hora, e já haviam sido entregues os prêmios de Direção de Arte, Ator Coadjuvante e Animação! Nem pude ver o diretor de Os Incríveis, Brad Bird, receber o prêmio. Quando é exibido no SBT, como no ano passado, o Oscar é muito mais valorizado!

Quem se deu bem, mesmo, foi o Rubens Ewald Filho, que foi fazer a cobertura do Oscar lá em Los Angeles, pela TNT, enquanto o José Wilker, que comentava o Oscar no canal pago, trocou de lugar com o crítico na TV aberta. Engraçado foi o ator dizendo que filmes como Homem-Aranha 2, vencedor do prêmio de Efeitos Especiais, são muito complexos para a inteligência dele!

Nada contra o José Wilker, que é um ótimo ator e está "felomenal" no papel do ex-bicheiro Giovanni Improtta em Senhora do Destino, mas deu para ver que o amor dele pelo cinema exclui muitas coisas boas desses tempos de influência dos quadrinhos e dos videoclipes...

Este ano o Oscar teve mudanças também na própria cerimônia, que passou a ser mais dinâmica. Os longos discursos de ganhadores em categorias menores foram abolidos, e houve momentos em que o prêmio foi entregue na platéia mesmo, para o ganhador nem precisar ir até o palco!

Isso deve ser chato para esses ganhadores menores, que passam a ganhar ainda menos segundos de fama... Por outro lado, em categorias mais técnicas, antes do anúncio do ganhador, todos os indicados subiram ao palco já com a celebridade que iria dar o prêmio, o que deu aos perdedores a chance de aparecer um pouquinho, também!

(continua no post abaixo)


Postado por Virtuanauta às 16h40 [] [Envie esta mensagem]




Virtualidades da Semana - A Volta do Virtuanauta e as Mudanças do Oscar 2005

(continuação do post acima)

Uma das cenas mais divertidas este ano foi aquela em que a personagem Edna Mode, estilista de roupas de super-heróis em Os Incríveis, apareceu conversando com o ex-James Bond Pierce Brosnan na entrega do prêmio de Figurino, que foi para O Aviador, o qual, embora estivesse ameaçando ganhar todos os principais Oscars no início da cerimônia, ganhando um atrás do outro como aconteceu recentemente com O Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei e Titanic, no final ficou apenas com cinco, incluindo Direção de Arte, Fotografia e Montagem.

Outra curiosidade foi quando o comediante negro Chris Rock, chamado para apresentar o Oscar numa tentativa de atrair a atenção do público jovem para a cerimônia, destilou um pouco de seu humor sarcástico exibindo um vídeo onde entrevistava espectadores negros em um multiplex, descobrindo que ninguém havia visto os indicados ao Oscar. Lembrou até um quadro do humorístico Pânico na TV, exibido pela Rede TV! no mesmo dia.

Antes mesmo da cerimônia Chris Rock havia comentado, evidentemente para gerar um pouco de polêmica, que acha que o Oscar é um prêmio que interessa só aos brancos e homossexuais. Mas, coincidência ou não, este ano dois dos principais prêmios foram ganhos por negros... Morgan Freeman recebeu o de Ator Coadjuvante por Menina de Ouro e Jamie Foxx, como já era esperado, recebeu o de Melhor Ator por Ray, onde interpreta Ray Charles.

O prêmio de Atriz Coadjuvante foi para Cate Blanchett, por O Aviador, onde interpretou a também ganhadora de Oscar Katherine Hepburn, e o de Melhor Atriz foi pela segunda vez para Hilary Swank (de Meninos Não Choram), desta vez por Menina de Ouro. O já lendário Clint Eastwood foi quem levou a estatueta de Melhor Diretor, também por Menina de Ouro, e o extraordinário Charlie Kauffman levou a de Melhor Roteiro Original por Brilho Eterno Numa Mente Sem Lembranças.

Por acaso, eu havia assistido no Anima Mundi do ano passado a um dos indicados a Curta-Metragem de Animação, Lorenzo, e também um longa chamado Hair High dirigido por Bill Plympton, o mesmo diretor de outro indicado, Guard Dog, que foi igualmente exibido no evento. Mas o ganhador deste ano foi um desenho chamado Ryan, que eu não conhecia, mas que parece muito bom, sobre a decadência do animador canadense Ryan Larkin pelo abuso de drogas e álcool. Espero que eu possa ver este também no Anima Mundi, como vi os ganhadores dos dois anos anteriores!

Outros prêmios foram o de Som para Ray, Efeitos Sonoros para Os Incríveis, Curta-Metragem para Wasp, Documentário em Curta-Metragem para Mighty Times - The Children's March e Documentário para Born into Brothels. Em Busca da Terra do Nunca, um dos favoritos, levou apenas o prêmio de Trilha Sonora, e Desventuras em Série, não tão favorito, apenas o de Maquiagem. O prêmio de Melhor Filme Estrangeiro foi para o espanhol Mar Adentro, de Alejandro Amenábar, o mesmo diretor dos fantásticos Abre los Ojos e Os Outros.

O Brasil este ano estava concorrendo em duas categorias, graças a Diários de Motocicleta, na verdade uma co-produção entre Argentina, Brasil, Chile, Peru e até Inglaterra, com direção do brasileiro Walter Salles, o mesmo de Central do Brasil. Perdeu o prêmio de Roteiro Adaptado para Sideways - Entre Umas e Outras, mas, surpreendentemente, ganhou o de Melhor Canção Original! Foi com El Otro Lado Del Rio, do uruguaio Jorge Drexler.

A interpretação da canção no Oscar por Antonio Banderas e Carlos Santana, e não pelo uruguaio, havia gerado protestos de Walter Salles dias antes, mas, no final, achei que ficou bonita mesmo assim, e ainda teve a vantagem de chamar mais atenção para a música do que se fosse feita pelo relativamente desconhecido Jorge Drexler... E, se isso não chamou atenção, os protestos contra isso certamente chamaram! É claro que teria sido mais simpático o próprio autor ter interpretado a canção, mas a publicidade teria sido bem menor... Para completar, ele ainda teve a chance de cantar um trecho pessoalmente ao receber o prêmio das mãos do Prince! Foi ou não foi legal?

Por fim, Menina de Ouro levou seu quarto Oscar, nada menos que o de Melhor Filme! Surpreendente para quem esperava que O Aviador fosse o grande ganhador da noite. Dustin Hoffman e Barbra Streisand, os pais de Ben Stiller em Entrando Numa Fria Maior Ainda, entregaram a estatueta para o diretor, e a cerimônia terminou meio de repente, cortando os agradecimentos da equipe do filme!

Nada tão espetacular quanto a cerimônia do ano passado, que para mim foi a melhor entrega do Oscar até hoje, começando com o retorno de Billy Cristal ao Oscar numa engraçadíssima seqüência onde o ator contracenava com personagens dos principais filmes de 2003 e terminando com a consagração definitiva de O Senhor dos Anéis... Mas, de qualquer maneira, o Oscar deste ano foi interessante por trazer várias mudanças no formato da premiação, que realmente se tornou mais dinâmica. Quem sabe daqui a alguns anos o Oscar nem seja mais lembrado por aquele velho estigma de ser uma cerimônia longa e chata?




Postado por Virtuanauta às 16h40 [] [Envie esta mensagem]




Segunda-feira , 3 de Janeiro de 2005


Comunicado - As Férias do Virtuanauta

Por incrível que pareça, depois de ter ficado sem funcionar durante várias semanas no ano passado, meu computador está começando o ano de 2005 precisando ser consertado de novo... No momento, estou num outro computador, aproveitando a oportunidade pra avisar que, durante as próximas semanas, provavelmente, não vou poder atualizar o blog com a mesma freqüência de antes, pois estarei sem Internet em casa! Aproveito a ocasião, também, pra anunciar que, já que não vou mesmo poder ficar no meu computador, doce computador, durante um tempo, e já que há uma possibilidade do meu avatar no mundo real passar alguns dias na praia no decorrer destas férias da faculdade, vou tirar férias deste blog, também!

O ser virtual que vos escreve estará de volta ao blog no dia 28 de fevereiro de 2005, data em que meu avatar estará, também, de volta à faculdade, e certamente meu computador já estará em ordem de novo. Assim que voltar ao blog, farei um relatório completo das viagens que certamente terei feito pelos mundos do cinema, da TV e da cultura pop em geral durante estas férias, e talvez até fale um pouco das minhas passagens pelo mundo real, incluindo os esforços no sentido de cumprir minhas resoluções de ano novo...

Até lá, desejo a todos um período excelente de férias, e, aos que não estiverem de férias, um período excelente de trabalho, faculdade ou seja lá o que for!

Abraços Virtuais!

Virtuanauta

www.virtuamix.com


Postado por Virtuanauta às 12h45 [] [Envie esta mensagem]




Sexta-feira , 31 de Dezembro de 2004


Retrospectiva Virtuanauta 2004 - O Legado de Duas Trilogias


Num texto que escrevi no meu blog anterior, no final do ano passado, eu disse que 2003 deixaria saudades, porque foi um ano fora do comum... Foi, ao mesmo tempo, o ano de O Senhor dos Anéis e o ano de Matrix, duas das trilogias mais pop e mais legais da história do cinema! Jamais haviam sido lançados, num mesmo ano, quatro filmes como os que completaram essas duas trilogias, que, apesar da decepção geral que foi Matrix Revolutions, conseguiram o feito de se equiparar a Guerra nas Estrelas no imaginário pop mundial... E creio que algo assim vai demorar muito a acontecer de novo, se é que voltará a acontecer. Foi a consagração definitiva de um estilo que remete aos velhos seriados de aventura dos anos 30 e, por extensão, a todo o imaginário mitológico humano, da Grécia Antiga aos dias de hoje. Sempre, claro, com grande apelo junto ao público jovem, que, conforme se constatou a partir dos anos 70 e 80, é o que mais tem tempo pra consumir filmes e produtos relacionados.

Agora, com o ano de 2004 já no final, eu mantenho o que disse, mas posso acrescentar uma coisa... O espírito de 2003 vai continuar entre nós por muito tempo! Na verdade, o que estamos vivendo agora é nada menos do que a continuação de tudo o que aconteceu em 2003, e, pelo visto, isto vai ser muito mais do que uma trilogia. Se não, como explicar o surgimento de tantos épicos de aventura? Não foi à toa que O Retorno do Rei foi o grande vencedor do último Oscar. Se Guerra nas Estrelas foi um marco na história do cinema, o legado de O Senhor dos Anéis e Matrix promete ser ainda mais marcante!


Basta ver lançamentos como Mar de Fogo, Tróia, Rei Arthur e Alexandre (cujo lançamento no Brasil foi adiado tantas vezes que acabou ficando pra 2005), que tentam descaradamente evocar O Senhor dos Anéis, a começar do pôster... Ou Anjos da Noite - Underworld, praticamente um Matrix com vampiros e lobisomens em lugar de seres virtuais... Ou ainda a infinidade de filmes inspirados em obras de ficção científica e fantasia, de Eu, Robô ao aguardado Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban... Até Quentin Tarantino seguiu o exemplo das trilogias, dividindo seu épico Kill Bill em dois volumes filmados simultaneamente.



(continua no post abaixo)


Postado por Virtuanauta às 12h14 [] [Envie esta mensagem]




Retrospectiva Virtuanauta 2004 - O Legado de Duas Trilogias

(continuação do post acima)

É claro que, pra ser mais justo, não posso esquecer de mencionar entre as maiores influências do cinema atual o sucesso de X-Men, que não se tornou trilogia mas teve, em 2003, uma continuação de sucesso ainda maior, e já tem o projeto de outras continuações. X-Men foi o primeiro filme a adaptar pro cinema, de maneira digna e com espetaculares efeitos especiais, não apenas um, mas um grupo inteiro de super-heróis dos quadrinhos. Foi isso que abriu as portas pro estrondoso sucesso de Homem-Aranha, cuja primeira continuação, este ano, já chegou sendo considerada por muitos a melhor adaptação de quadrinhos já feita, sendo seguida logo por várias outras, como o ótimo Hellboy, o fiasco Mulher-Gato, O Justiceiro (cuja distribuidora no Brasil acabou decidindo lançar direto em vídeo) e até Garfield - O Filme...




Isso sem contar as adaptações de videogames, como Resident Evil 2 - Apocalipse, o qual, além de ser mais um exemplo de como o cinema vem absorvendo inspiração de fontes cada vez mais diversificadas, se encaixa no grande revival de monstros clássicos que já despontava em 2003 com Freddy X Jason e que vem prosseguindo com Alien X Predador, a refilmagem Madrugada dos Mortos, a sátira Todo Mundo Quase Morto (grande sucesso na Inglaterra, mas lançado direto em vídeo no Brasil), a prequel Exorcista - O Início e, claro, o exagerado Van Helsing - O Caçador de Monstros...



(continua no post abaixo)


Postado por Virtuanauta às 12h14 [] [Envie esta mensagem]




Retrospectiva Virtuanauta 2004 - O Legado de Duas Trilogias

(continuação do post acima)

Temos, assim, um panorama onde, por um lado, os temas de ficção científica e fantasia vêm sendo tratados com mais respeito no cinema, e não apenas como "coisa pra criança"... Cada vez mais, vemos filmes onde a mitologia é levada a sério, com roteiros de qualidade, boas interpretações, e efeitos especiais que não estão ali apenas pra chamar atenção por serem bons, e nem chamam atenção por serem ruins, cumprindo seu papel de imprimir realismo à história... Por outro lado, os temas mais adultos parecem não ter mais vez no grande circuito, ficando restritos a filmes alternativos... Mesmo a ficção científica só é retratada em seu lado mais aventuresco, raramente com verdadeiras discussões sobre os rumos da ciência, algo que, quando aparece, acaba ficando em segundo plano. Os longas de animação, cada vez mais sofisticados, agora chegam a ter uma categoria própria no Oscar, e vão de despretensiosas experiências em 2D como Bob Esponja - O Filme a extraordinários blockbusters em 3D como Os Incríveis, passando por Nem que a Vaca Tussa, anunciado como a última animação 2D da Disney pro cinema, As Bicicletas de Belleville, animação francesa indicada ao Oscar, O Expresso Polar, com Tom Hanks interpretando vários papéis através de uma tecnologia que passa seus movimentos e expressões faciais pro desenho, e, claro, Shrek 2, a continuação da animação 3D que alavancou a Dreamworks nesse mercado. Adultos lotam cinemas pra ver desenhos animados, perdendo o preconceito em relação a filmes que antes só seriam do interesse de crianças, mas, ao mesmo tempo, parecem perder o interesse por filmes feitos pra gente de sua idade... Será o fim dos temas adultos no cinema?


Não necessariamente, eu diria... É o velho dilema entre "apocalípticos" e "integrados", de que Umberto Eco já falava há muito tempo... Enquanto os integrados enxergam o lado bom das novidades, os apocalípticos sempre acham que é o fim de tudo! Não podemos esquecer que sempre houveram filmes bons e filmes ruins, e mesmo os filmes mais adultos, em Hollywood, nunca foram lá muito intelectuais. Ainda há, sim, filmes inteligentes, com temas adultos, como sempre houve em Hollywood... A Paixão de Cristo, um dos melhores dramas bíblicos já feitos, e a comédia romântica Alguém Tem Que Ceder, que não perde em nada na comparação com os clássicos estrelados pelo casal Spencer Tracy e Katherine Hepburn, são apenas alguns exemplos... Mas, no que diz respeito a filmes intelectuais, feitos principalmente pra se pensar, esses sempre foram mais abundantes no cinema independente, europeu, asiático, brasileiro... O que não quer dizer que o cinema hollywoodiano seja ruim, ou que não seja arte... É apenas mais emocional, e, portanto, mais comercial, afinal, a maioria do público vai ao cinema apenas pra se divertir, mesmo!

Isso não impede que filmes um pouco mais intelectuais, como Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças, do aclamado roteirista Charlie Kauffman, Igual a Tudo na Vida, do mais que aclamado Woody Allen, Fahrenheit 11 de Setembro, que junto com seu diretor Michael Moore deu vazão a uma onda de documentários pop no cinema, o espanhol Má Educação, do aclamadíssimo Pedro Almodóvar, ou o japonês Zatoichi, dirigido e estrelado por Takeshi Kitano, continuem atraindo seu público, às vezes conseguindo um sucesso comercial até maior que o de superproduções como O Dia Depois de Amanhã, o mais recente filme catástrofe de Rolland Emmerich, O Terminal, de Steven Spielberg, A Vila, que trouxe o diretor M. Night Shyamalan pra ainda mais perto dos temas de fantasia, o mais modesto Efeito Borboleta, que colocou o astro televisivo Ashton Kutcher numa trama de viagem no tempo, ou Capitão Sky e o Mundo de Amanhã, a inovadora ficção científica retrô do novato Kerry Conran com cenários totalmente virtuais...





(continua no post abaixo)


Postado por Virtuanauta às 12h14 [] [Envie esta mensagem]




Retrospectiva Virtuanauta 2004 - O Legado de Duas Trilogias

(continuação do post acima)

Aliás, é com o aumento do número de filmes emocionais como Olga e Cazuza - O Filme que o cinema nacional finalmente vem conseguindo se firmar, mergulhando até mesmo nos temas fantásticos este ano, com o espetacular Redentor, primeiro exemplar nacional a assumir ares de Matrix, na trilha do que Hollywood vem fazendo. Não apenas Matrix chegou a ser referência pro cinema brasileiro este ano, como o próprio O Senhor dos Anéis, que foi a principal influência do mais recente caça-níqueis da cada vez mais chata "rainha dos baixinhos", Xuxa e o Tesouro da Cidade Perdida. Felizmente, o cinema nacional não se resume mais a filmes de celebridade como este, onde o que conta é muito menos o talento que a fama do elenco, embora o próprio Maurício de Souza, que sempre foi aclamado como o Walt Disney brasileiro, tenha resolvido apelar pra esta fórmula na volta de seus personagens às telonas, Cine Gibi - O Filme, repleto de participações especiais totalmente dispensáveis de celebridades em carne e osso contracenando com os desenhos. Atualmente, há espaço no cinema brasileiro pra comédias românticas como Sexo, Amor e Traição, documentários pop como Entreatos e, inclusive, pro sucesso comercial de filmes como Diários de Motocicleta e o insólito Nina, que tradicionalmente seriam restritos a um pequeno nicho de cinemas alternativos...



Resta ainda o fato de que um filme pode ser intelectual sem deixar de ter um lado emocional, e vice-versa... É o caso do próprio Matrix, que garante seu lugar no circuito comercial apresentando cenas de ação empolgantes e extraordinários efeitos especiais, mas não deixa de ser um dos filmes que mais se aprofundaram na discussão sobre os rumos da ciência, nos últimos anos... Ou do próprio O Senhor dos Anéis, que também se baseia fortemente na aventura, mas traz nas entrelinhas uma profunda reflexão sobre a condição humana, como é comum nos melhores épicos, de Homero a Dante... São filmes mais profundos do que muitos daqueles considerados adultos, enfim.


Nessa linha de filmes que flertam tanto com o cinéfilo intelectual quanto com o eventual consumidor de filmes pipoca, tivemos alguns exemplares muito bons produzidos em 2003, mas lançados no Brasil em 2004... Peixe Grande, um dos mais autobiográficos e, ao mesmo tempo, insólitos do gótico Tim Burton, mais um diretor que se aproximou ainda mais dos temas de fantasia... Encontros e Desencontros, a comédia dramática que rendeu a Bill Murray uma indicação ao Oscar... Party Monster, o retorno de Macaulay Culkin ao cinema, agora com ares de rebelde... Adeus Lênin, outra excelente comédia dramática, esta ambientada na Alemanha do final dos anos 80... Anti-Herói Americano, que transpôs pro cinema os quadrinhos e a vida do quadrinhista Harvey Pekar... E também tivemos, claro, ótimos filmes que foram lançados no exterior em 2004, mas que só chegarão aqui em 2005, como o épico chinês Herói, trazido ao Ocidente por Quentin Tarantino, e a esperada biografia de Howard Hughes, O Aviador, com Leonardo DiCaprio no papel-título...

Em resumo, gostando-se ou não de filmes de aventura, a boa notícia é que o cinema não está parado, estagnado... Está se renovando... Ampliando seus focos... Afinal, o cinema ainda é uma arte nova, e tem muito o que evoluir. Dentro de alguns anos, quem sabe poderemos ver filmes nos quais os efeitos especiais serão meros detalhes diante da história a ser contada, e não haverá importância se a ação está concentrada na psicologia de um único personagem ou na ação de todo um exército, mas sim se há qualidade no roteiro, na direção, na interpretação dos atores... Isso quando houver atores, claro, pois a tendência é que as animações venham a ganhar cada vez mais destaque, seja em desenhos 2D, 3D, ou como um complemento de filmes com atores... Como na nova refilmagem do clássico King Kong, que, dirigida pelo agora oscarizado Peter Jackson, deve chegar às telas mundiais no ano que vem com um gorila inteiramente digital, com movimentos e voz emprestados do mesmo Andy Serkis que deu vida ao Gollum de O Senhor dos Anéis!


Com lançamentos como esses, quem precisa sentir saudades do passado?


Postado por Virtuanauta às 12h14 [] [Envie esta mensagem]




Segunda-feira , 27 de Dezembro de 2004


Virtualidades da Temporada - Surpreendentes Mudanças na TV Globinho


Ontem, durante um dos intervalos do primeiro episódio da minissérie dominical O Pequeno Alquimista, a Globo passou, pela primeira vez de muitas, uma surpreendente chamada pros novos desenhos da TV Globinho... Depois de mais de dois anos sem estrear praticamente nenhum desenho animado decente, o canal, desesperado por estar perdendo cada vez mais audiência pro SBT de manhã, finalmente decidiu tomar vergonha na cara e estrear nada menos que três excelentes desenhos: a nova versão de Tartarugas Ninja, grande sucesso dos anos 80, e os animês Inu Yasha, da mesma autora de Ranma 1/2, e Astroboy, refilmagem do clássico do "deus dos mangás" Osamu Tesuka! Nada de mais pra quem tem TV paga, afinal, os dois últimos já estrearam há muito tempo no Cartoon Network, e o primeiro na Fox Kids, mas pra quem, como eu, há mais de um ano estava esperando a Globo decidir se ia ou não exibir Inu Yasha, e nem estava sabendo que a emissora já estava com os direitos dos outros dois, a notícia da exibição dos três ao mesmo tempo é muito boa! De quebra, ao que parece vai sair do ar o horrível Xuxa no Mundo da Imaginação, outra boa notícia! A TV Globinho passa a ter, então, duas horas de duração, em vez de apenas uma, começando com os novos desenhos no dia 3 de janeiro de 2005, às 10 da manhã. Já vou preparar meu videocassete!


Inu Yasha, Astroboy e Tartarugas Mutantes Ninja na TV Globinho
A partir de 3/1, de segunda a sexta, às 10h, na Globo



Postado por Virtuanauta às 00h47 [] [Envie esta mensagem]




Sábado , 25 de Dezembro de 2004


Feliz Natal ou Boas Festas?

Acabei de ver uma reportagem na TV sobre o Natal em Nova York. A reportagem mostrava uma situação inusitada que vem ocorrendo no comércio da cidade, onde os logistas começam a se perguntar se devem ou não, em sua decoração de Natal, mencionar que o feriado comemora o nascimento de Cristo (!)... A dúvida se deve ao fato de que, apresentando a data como uma comemoração cristã, a sociedade está excluindo das festividades os judeus, os mussulmanos e todos aqueles que não são cristãos. Isso, além de politicamente incorreto, chega a ser anti-americano, afinal, as leis norte-americanas prevêem a separação entre governo e religião, e, por isso, o país não pode encorajar uma religião em detrimento de outras. Sem mencionar, é claro, que não é inteligente deixar de lado uma fatia significativa de consumidores nas compras de Natal! Em vista disso, embora o conservador presidente reeleito George W. Bush declare abertamente ser cristão e promova uma política de perseguição aos mussulmanos, vistos como potenciais terroristas, o comércio tem preferido decorar suas vitrines com mensagens de "Boas Festas", em lugar do tradicional "Feliz Natal", uma vez que cada religião tem sua própria festividade nessa época do ano (como o Hannukah dos judeus), e os presépios têm sido evitados na decorações.

Por um lado, a atitude dos logistas pode ser considerada mais um sinal de que o Natal está perdendo o sentido religioso pra se tornar meramente um feriado comercial, com a figura de Papai Noel substituindo a de Jesus Cristo como seu símbolo. Aliás, o culto ao Papai Noel no Natal me parece bastante estranho pra um feriado cristão, pois, no fundo, de cristão essa figura não tem quase nada! O que dizer de um ser que vive metido com duendes, que sempre foram vistos pelos cristãos como demônios? Pode-se até lembrar que o Papai Noel está ligado à religião católica por ser identificado com um santo, mas, ao mesmo tempo em que possui essa identificação com São Nicolau (um bispo rico e generoso que nasceu em 350 d.C. na Turquia, viajou por diversas regiões do Oriente Médio e foi canonizado poucos anos depois de morrer, conforme descobri durante minhas recentes pesquisas pela Internet), ele também está ligado a uma lenda escandinava muito mais antiga, a respeito de um feiticeiro que morava perto do Pólo Norte e, no final do ano, dava presentes às crianças bem comportadas, locomovendo-se por meio de um trenó puxado por renas (algo que também descobri hoje na Internet, e que está mais ou menos de acordo com a versão da lenda do Papai Noel apresentada no desenho exibido pela Globo esses dias na Sessão da Tarde, As Aventuras de Papai Noel, inspirado numa história do mesmo autor de O Mágico de Oz, L. Frank Baum)... Imagine se um santo católico poderia fazer uso de magia, algo violentamente condenado pela Igreja durante séculos! Ai dele se a Santa Inquisição ficasse sabendo!

O próprio visual do Papai Noel foi criado não pela Igreja, mas sim pelos publicitários a serviço de uma empresa famosa... A Coca-Cola! Inspirado numa ilustração de Thomas Nast pra antiga revista Harper's Weekly, de 1866, por sua vez inspirado num poema de Clement C. Moore, A Visit from St. Nicholas, de 1822, que já retratava São Nicolau num trenó com renas, o desenhista Haddon Sundblom criou, em 1931, a imagem do Papai Noel que seria veiculada por uma campanha publicitária da Coca-Cola, que queria associar o vermelho do casaco do bom velhinho à cor do logotipo do refrigerante (isso eu já sabia, mas fiquei sabendo dos detalhes hoje, adivinhem onde!). Desde então, o cinema só contribuiu pra associar, cada vez mais, essa imagem ao Natal... Vale lembrar, ainda, que o culto ao católico São Nicolau, a princípio, nem poderia ser tão arraigado nos Estados Unidos, onde a grande maioria é formada de protestantes.

Por outro lado, em tempos de guerra santa como a que vivemos agora, com o "cristão" George W. Bush atacando a torto e a direito as terras mussulmanas, é bom saber que ainda há uma preocupação em se respeitar a diversidade de religiões. Além disso, o costume de se trocar presentes nessa época, na verdade, surgiu muito antes do nascimento de Cristo, como uma celebração ao solstício de inverno. Portanto, mesmo que aos nossos olhos ocidentais, tão acostumados a ver nessa data a comemoração do nascimento de Cristo, possa parecer absurdo o fato disso estar sendo omitido agora pelos logistas, não se pode acusá-los de estarem desvirtuando a data de seu significado original. Nem ao menos se tem certeza de que Cristo tenha de fato nascido exatamente no dia 25 de dezembro! No fim das contas, é apenas uma data que foi escolhida pra simbolizar o amor, a fé e a esperança entre a humanidade. Não importa o que os logistas fazem pra atrair compradores. Não importam as belas decorações que enchem as cidades nesta época do ano. Não importam nem mesmo as crenças de cada pessoa. Comprando-se presentes caros ou não, trocando-se cartões, lembrancinhas ou apenas abraços, beijos e desejos de dias felizes, o que vale é a confraternização.

E viva a separação entre governo e religião, sem a imposição de crença alguma a quem quer que seja! Cada um que acredite no que quiser, e festeje o que quiser, nesta ou em qualquer outra data...

Dito isto, desejo a todos BOAS FESTAS, hoje e sempre!

Abraços, Beijos e Apertos de Mão Virtuais!

Virtuanauta

www.virtuamix.com


Postado por Virtuanauta às 18h00 [] [Envie esta mensagem]




Quarta-feira , 22 de Dezembro de 2004


Comunicado - Um Mês no Ar!

Embora o site VIRTUAMIX.com tenha estreado em julho, este blog só passou a receber atualizações freqüentes no dia 22 de novembro, ou seja, um mês atrás... Portanto, o dia de hoje passa a ser, oficialmente, o aniversário de um mês do blog no ar, o que não deixa de ser algo digno de nota, já que muitos blogs não chegam nem a um mês! É claro que as atualizações ainda não estão tão freqüentes quanto eu gostaria, ainda falta colocar muita coisa no menu, melhorar o template e, principalmente, falta eu divulgar mais o blog, pra receber mais visitas... Mas vou continuar a fazer deste blog um registro das minhas viagens pelos mundos virtuais, e espero que, cada vez mais, possa ser útil a todos aqueles que se interessam por cinema, quadrinhos e outras virtualidades... Termino este post desejando ao meu próprio blog um feliz aniversário, e, a todos que passarem por aqui, uma ótima visita!

Abraços Virtuais!

Virtuanauta

www.virtuamix.com


Postado por Virtuanauta às 12h16 [] [Envie esta mensagem]




Segunda-feira , 20 de Dezembro de 2004


Virtualidades da Temporada - Os Bisnetos de Sai de Baixo

O sucesso do seriado dominical Sai de Baixo, produzido no mesmo formato teatral do antigo humorístico Os Trapalhões e com o mesmo tom de chanchada do ainda mais antigo seriado Família Trapo, foi responsável pelo surgimento de dois outros seriados de sucesso. O primeiro, A Grande Família, nada mais do que a refilmagem modernizada de mais um seriado antigo, está no ar até hoje e, mesmo depois da morte de um de seus principais integrantes, o hilário Rogério Cardoso, continua agradando seu público. O segundo, Os Normais, com apenas dois protagonistas e um humor mais moderno, derivado do revolucionário humorístico TV Pirata, foi sucesso entre um público mais intelectualizado nas noites de sexta-feira e chegou a originar um filme de grande êxito nos cinemas.

No ano passado, esses filhos de Sai de Baixo tiveram, também, os seus filhos, com uma produção cada vez mais sofisticada. Primeiro, no lugar de Os Normais, que na última temporada já tinha quatro personagens fixos em lugar de apenas dois, outra sitcom moderninha, Sexo Frágil, segurou a audiência nas noites de sexta, com quatro ótimos atores da nova geração fazendo os papéis masculinos e femininos do programa. Antes de ir ao ar como seriado, essa sitcom havia sido testada em forma de quadro do Fantástico, e o mesmo teste foi feito em seguida com As 50 Leis do Amor, que, não tendo o mesmo sucesso, não chegou a se tornar seriado, embora fosse escrita pelos mesmos autores de Os Normais. Já os outros netos de Sai de Baixo, o também dominical Sob Nova Direção e o popular A Diarista, foram testados em forma de especial de fim de ano juntamente com os não tão bem-sucedidos Papo de Anjo e Carol e Bernardo.

Esse mesmo teste acontece, esta semana, com três possíveis seriados novos, o que prova que a Globo está decidida a apresentar, cada vez mais, o similar nacional de seriados como Friends e Um Amor de Família (Married With Children), mostrando que o Brasil também é capaz de produzir bons seriados (assim como alguns não tão bons, mas na média das produções norte-americanas, pelo menos). Na quarta-feira, depois de Senhora do Destino, Quem Vai Ficar com Mário?, o retorno de Thiago Lacerda a um papel de destaque na TV depois de muito tempo, traz o galã na pele de um homem que vive rodeado de mulheres, numa história manjada de conquistador que resolve procurar o amor verdadeiro, bem ao estilo do filme Alfie - O Sedutor, em cartaz nos cinemas desde sexta-feira passada. Ao seu lado no programa estão Camila Pitanga, Danielle Winits e Marcelo Faria. Logo em seguida, no mesmo dia, o bem mais interessante Correndo Atrás apresenta Luana Piovani, Danton Mello, Tais Araújo, Miguel Thiré, Fernando Caruso, Debora Lamm, Rocco Pitanga e Pedro Neschling como um grupo de desempregados que se metem em confusões à procura de trabalho.

Na quinta, depois do especial de Natal de A Grande Família, é a vez de Histórias de Cama e Mesa, onde não apenas um conquistador, mas quatro, incluindo alguns não tão sedutores, se reúnem com freqüência num bar pra conversar sobre sexo, amor e casamento. Interpretados por Marcos Palmeira, Marco Ricca, Daniel Dantas e Ângelo Antônio, eles vivem às voltas com as personagens de Patrícia Pillar, Mariana Ximenes, Deborah Evelyn e Bete Coelho, que representam no seriado a visão feminina dos relacionamentos. Enquanto isso, Os Aspones, a mais nova sitcom dos autores de Os Normais, fica na expectativa de uma segunda temporada, depois do final da primeira na sexta-feira passada, e o menos ambicioso Sitcom.br continua apenas como quadro do Fantástico. O último dos bisnetos de Sai de Baixo, o misterioso Programa Novo, estrelado pelos mesmos atores de Sexo Frágil, vai ao ar apenas no dia 28, certamente dando continuidade à constante metalinguagem do programa anterior da trupe.

(continua no post abaixo)


Postado por Virtuanauta às 12h16 [] [Envie esta mensagem]